Vereador de Ji-Paraná que comprou votos em aldeia indígena é cassado

News3

Marcelo Lemos do PSD, eleito para o cargo de vereador na última eleição municipal, teve seu diploma cassado e também foi penalizado com oito anos de inelegibilidade em função da prática de abuso de poder econômico e da obtenção ilícita de votos de índios da aldeia Suruí.

A sentença foi dada em função de uma investigação feita em virtude de uma denúncia apresentada pelo candidato concorrente à Casa de Leis, Cristiano Matos (PSDB). Em sua denuncia, Cristiano disse que, depois que foi dada como encerrada a apuração dos votos na Zona Eleitoral destinada a atender os índios Suruí, percebeu que 70% dos votos haviam sido destinados ao candidato Marcelo Lemos.

Crime

A denúncia investigada diz que Marcelo deu cerca de R$ 20 mil ao cacique da aldeia e ao seu filho para que o ajudasse na obtenção de votos entre os índios. Além deste episódio, a denúncia diz também que Marcelo promoveu festas na aldeia fornecendo grandes quantidades de carne na época de sua campanha. Marcelo prometeu, segundo a denúncia, lutar por destinação de recursos e benefícios aos índios, caso fosse eleito com o apoio massivo da aldeia.

Matéria:redetvro.com.br

Compartilhe:

Deixe seu comentário